Ricardo Matias, melómano dedicado, toca guitarra desde muito cedo. Tímido e reservado por natureza, muitos dos anos como guitarrista f...

Bagagem do Ricardo Matias: 5 livros, 7 discos, 5 filmes


Ricardo Matias, melómano dedicado, toca guitarra desde muito cedo. Tímido e reservado por natureza, muitos dos anos como guitarrista foram passados no anonimato. A partir do momento em que começou a aprender a tocar o instrumento de eleição, nunca se deixou ficar pelos acordes básicos nem pelas escalas primárias. Com muita sensibilidade, é um curioso pelos contratempos e pelas melodias, não fosse um ouvinte obcecado, entre outras coisas, por Tool. Conhecedor do underground do metal, especialmente do doom, de há uns 15 anos para cá saltou de banda em banda à procura do espaço merecido. Criou os Scaffold Bird, tocou com Dawnrider, Mourning Lenore e deu uma mão ao baixo dos sleaze rockers Affäire. Actualmente com os SINISTRO tem colhido bons ventos. O álbum Semente abriu-lhes portas para a Europa para digressões que deixam o underground nacional orgulhoso. Recentemente, disseram-nos os brasileiros Labirinto, quando passaram pelo Cave 45, no Porto, que os Sinistro têm caído nas boas graças dos melómanos do outro lado do Atlântico. A ida ao Roadburn abriu-lhes muitas portas. Agora é esperar pelo novo trabalho. Matias recomenda 5 livros, 7 discos, 5 filmes, independentemente do rótulo, género ou formato.

Li poucos livros nos últimos tempos, recomendo os que me causaram mais interesse e/ou diversão.
5 livros:
Porque somos Antiamericanos? de Ziauddin Sardar/Merry/Wyn Davies.
Livro interessante que explora não só os problemas da influência do poder económico dos EUA no resto do mundo, tal como a influência dos sistemas de valor e de funcionamento de uma sociedade civilizada.

Em busca da Arca da Aliança de Graham Hancock.
Este é especialmente controverso, para quem gosta de teorias da conspiração e também para quem não gosta nada disso. É uma excelente leitura independentemente se se acreditar ou não num trabalho de 10 anos de investigação de um sociólogo e jornalista britânico. Conta a história de 10 anos de vida do Autor em busca da Arca da Aliança. Adorei.

O Lado Selvagem de Jon Krakauer.
Baseado num caso verídico e trágico mas ao mesmo tempo de uma beleza e transcendência sem igual. Um acto de fuga ao materialismo ao qual estamos todos aprisionados. Mais uma vez o livro supera o filme, já de si excelente.

Let the Right One In de John Avid Lindqvist.
Mais um livro que comprei por causa de um excelente filme, neste caso falo da versão sueca. O livro é ainda mais rude, visceral e violento que o filme. Totalmente recomendado.

E não podia deixar uma banda-desenhada de fora, que é a minha preferida de todos os tempos. 
Absolutamente imperdível.
Achille tallon de Greg (todos os livros que conseguirem achar).

Apesar de já não os consumir da forma exacerbada de há uns anos, continuo a ouvir com regularidade. Detesto adjectivar sobre música por isso não vou falar sobre os discos, penso que música é apenas para ser ouvida/sentida e se te faz sentir algo especial é porque é boa. Recomendo 7 discos de bandas que ao vivo também são excepcionais.
7 discos:
The Octopus de Amplifier.
Astra Symmetry de Monkey 3. 
Ceremony de Anna Von Hausswolff.
The Children of the Night de Tribulation.
Obituary de Obituary.
Terminal Redux de Vektor.
Great Western Valkyrie de Rival Sons.

Longe de ser um cinéfilo, mas aprecio desde o Terrence Mallick a John Carpenter ou Pedro Almodóvar a Takashi Miike. Ultimamente gostei muito destes e recomendo.
5 filmes:
Get out de Jordan Peele.
Birdman de Alejandro González Iñárritu.           
Dogtooth de Yorgos Lanthimos.
Borgman de Alex Van Warmerdam.
The Lobster de Yorgos Lanthimos. 

Séries para não falar de algumas óbvias recomendo Braindead para quem gosta de humor inteligentíssimamente bem feito.