A segunda estrofe de  I AM ALL THAT I NEED   começa: So it's true, I've gone too far to find you /  And the thumbprint scar ...

Música para os meus ouvidos: Sugestão Crack-Up, FLEET FLOXES



A segunda estrofe de I AM ALL THAT I NEED começa:
So it's true, I've gone too far to find you / And the thumbprint scar I let define you
/ Was a myth I made you measure up to / It was all just water, winding by you


I AM ALL THAT I NEED 
refere-se a alguém. E nós que também a ouvimos somos peças abstractas que não existíamos para Robin Pecknold. Pelo menos enquanto a escreveu. Mas nós, que nos metemos dentro deste lago de emoções, confirmamos que é para nós que ele canta. Também. 
Numa correria de instrumentos segue-se uma quebra, uma voz íntima que narra sentimentos, dos mais profundos que podemos ter. E em todo o álbum existe esta voz que narra.

Crack-up consome-se com tempo. Ele próprio está cheio de espaços. Precisamos de tempo para o absorvermos nas mais diferentes camadas. Neste terceiro álbum Robin Pecknold amadureceu. Não se ficou pelas canções ortodoxas. Experimentou outros sons que chegam aos ouvidos dos que precisam de outras emoções.