Quando trincamos algo que nunca provámos antes, alguma ansiedade se instala até as nossas papilas gustativas transmitirem esses estímulo...

Música para os meus ouvidos: Vento, SALGUEIRINHA

Quando trincamos algo que nunca provámos antes, alguma ansiedade se instala até as nossas papilas gustativas transmitirem esses estímulos ao tronco cerebral. Esse processo químico faz-nos aproximar da experiência ou afastar-nos dela.

Se calhar, poderíamos colocar no mesmo patamar o processo de audição. O que nos faz aproximar de certo som e querer repetir a experiência e o que nos faz rejeitá-la se porventura essa experiência se voltar a repetir?

Na mesma medida, poderíamos colocar a grande quantidade de pessoas que se deixam interessar por certo tipo de som, quando esse som não parece estimular nada, a não ser os sentidos primários, e outro tipo de som, que não parece estimular grande parte das pessoas, mas que, em última análise, é em qualidade criativamente incomparável.


Recebemos Salgueirinha na nossa caixa de correio electrónico e podemos dizer que a degustação fez-nos querer viver a experiência.

Um som que nos chega com contenção e equilíbrio. Que não se mostra de uma só vez. Salgueirinha, um projecto de Filipa Santos, revisita um lugar distante que inspira e junta dois pesos pesados da música tradicional portuguesa, da música improvisada e do jazz. 

Filipa Santos e Miguel Moreira são dois músicos experientes: Filipa Santos é mentora dos Mandrágora e Salgueirinha e Miguel Moreira é guitarrista e compositor, um dos mais requisitados músicos da comunidade musical do Porto, são vários os projectos dos quais já fez parte: (Orquestra de Jazz de Matosinhos, José Pedro Coelho Quinteto (Clepsidra), Mário Santos (Nuvem), Remix Ensemble (sob direcção de Peter Rundel), Drumming, Gileno Santana (Metamorfose), Sérgio Carolino (Funky Bonés Factory), João Mortágua (Janela), António Augusto Aguiar (FMI - Formação de Música Improvisada), Companhia Paulo Ribeiro (Festa da Insignificância), Maria Rita, Sérgio Godinho, Manuela Azevedo, entre outros.). 

O duo "leva-nos numa viagem exploratória à volta do nosso património imaterial musical e através da improvisação, surpreende-nos com a sua abordagem contemporânea onde o conteúdo musical formal e informal se esbate criando ambientes inesperados." 

Filipa no saxofone, flauta e voz; Miguel Moreira na guitarra eléctrica de 6 e 12 cordas apresentam o novo tema "Vento" onde todas as suas características são adjectivadas. Gradualmente juntam-se camadas aos elementos sonoros, o que faz da interpretação inteligente e madura. Neste momento, encontram-se a preparar o álbum que se encontra em fase de pós-produção. 

Salgueirinha aproximou-nos da experiência. Uma experiência que se abre às suas propriedades terapêuticas. 
Uma experiência que, sem dúvida, deixa-nos a vontade de a repetir. 




TEXTO: PRISCILLA FONTOURA